Como fazer uma landing page que converte

Ultimamente, muito tem sido falado e discutido sobre o ótimo custo-benefício das landing pages dentro da estratégia de marketing digital para empresas de pequeno, médio e grande porte de qualquer segmento. Isso porque as “páginas de pouso” atuam como uma espécie de vendedor que trabalha todos os dias da semana, 24 horas por dia, captando prospects. No entanto, para que esse “vendedor” consiga realmente atrair interessados e gerar muitas conversões para o negócio, as landing pages devem ser bem estruturadas, fazendo com que o visitante atinja a meta de baixar determinada oferta.

Fique por dentro de alguns itens da landing page que você não deve deixar de otimizar a fim de angariar novos clientes em potencial para os serviços que você oferece:

CTAs

CTA

Os botões de CTA ou “chamada para ação” são a porta de entrada das landing pages. É clicando em um desses botões em formato de banners que o usuário cai direto numa landing page. Logo, os CTAs precisam se destacar em meio a posts de blogs ou páginas de um site. Para isso, precisam ser estrategicamente inseridos no meio do conteúdo, no rodapé ou nas laterais das páginas, sempre com uma cor destoante do padrão do site (as cores primárias são as mais indicadas) e um texto atraente e direto que, acima de tudo, instigue a curiosidade do internauta e o faça clicar.

Veja o exemplo, clique AQUI

Conteúdo

conteudo

Pense nas landing pages como flyers que você costuma receber nos semáforos. Nessas peças publicitárias, os textos devem ser sucintos para chamar sua atenção e, em poucos segundos, mandar o recado antes de o sinal abrir. O mesmo acontece com as landing pages: a começar pelo título da página, onde você deve deixar bem claro o nome, ou pelo menos o objetivo da oferta que o usuário está prestes a baixar. Abaixo do título, você deve usar uma pequena chamada que explique o que o visitante irá “ganhar” com a oferta, seguida de bullet points, ou seja, tópicos ou pontos de destaque relacionados ao material. Lembre-se de que, se o usuário não souber do que se trata a oferta, ele jamais perderá tempo fazendo o download dela. Faz sentido, não?

Design

design

Independentemente da natureza do negócio, a função de todas as landing pages é uma só: levar o usuário a atingir uma meta, e assim consumar a conversão. E para que o usuário seja capaz de preencher o formulário, que vai lhe dar acesso à oferta, com base unicamente na própria intuição, é preciso que o layout da landing page seja o mais limpo possível. Imagens em excesso, links para outros sites ou redes sociais e textos longos só servem para confundir o visitante, além de irritá-lo ao ponto de ele fechar o navegador. Portanto, aposte na fórmula imbatível: título/chamada/bullet points/imagem da oferta/formulário.

Ofertas

Bom, até aqui você já sabe como construir uma landing page que cumpra a finalidade de conversão. Porém, qual é a melhor oferta? Bom, isso vai depender do seu estudo de personas, ou público-alvo. Qual tipo de conteúdo é realmente útil para a sua clientela? Talvez um “Manual de Vermifugo para cães e gatos quando e como administrar”, quem sabe? Quanto mais valor os clientes em potencial vislumbrarem na oferta, “melhor” ela será, pois irá gerar mais downloads e conversões.

Agora que você sabe como proceder em relação a conteúdo e design, é bom ficar ligado em alguns erros bastante comuns, como, por exemplo, criar formulários muito extensos que cansem o usuário. Outra mancada é esquecer de monitorar as landing pages para ver se não há links “quebrados” entre CTA, LP e Thank You page (página onde você entrega sua oferta). Ademais, acompanhe a performance da LP pelo Google Analytics e, caso a taxa de conversão ainda esteja baixa, não hesite em fazer o teste A/B para identificar quais elementos funcionam melhor dentro da página.

E então? Está pronto para criar uma landing page que converte? Que tal assinar nossa newsletter e receber em primeira mão mais artigos como esse?

(sua privacidade garantida, livre de spam)

[contact-form-7 id=”2125″ title=”Rodapé do Post”]