O que é nutrição de leads e como pode ajudar sua equipe de vendas

 

conceito de lead já está se tornando popular no mundo empresarial, pois a grande maioria dos empreendimentos, especialmente aqueles que precisam atrair muitos clientes, já está se valendo das estratégias do inbound marketing.

No entanto, é preciso compreender melhor como são os processos de propaganda e a conversão de público, pois a competitividade não para de crescer e está cada vez mais difícil se diferenciar. E a nutrição de leads é parte fundamental para o sucesso nessa empreitada.

Quer descobrir o que é isso e como fabricantes de produtos para PET  podem usar? Então confira o post de hoje:

Relembrando: o que é um lead?

conceito de lead já é bem conhecido, mas vale relembrar. Leads são, em linhas gerais, as pessoas que têm algum interesse no produto ou serviço que uma empresa oferece e podem se tornar efetivamente clientes. Em tempos de internet, um lead pode ser considerado como aquele visitante que forneceu informações em troca de algum material gratuito disponibilizado pelo site ou como o indivíduo que entrou em contato com o seu negócio interessado em saber mais sobre o que você está oferecendo.

O que é nutrição de leads?

Agora que já relembramos o que é lead, é hora de entender o que é nutrição de leads. Essa técnica nada mais é do que estimular esse lead a se tornar um cliente efetivo e fechar negócio, por meio do envio periódico de e-mails com conteúdos relacionados ao serviço ou produto que o usuário demonstrou interesse anteriormente, por exemplo.

Isso aumenta o volume de vendas e tem um custo bem menor do que as estratégias tradicionais de marketing para atrair público. O papel da nutrição é deixar os leads prontos para avançar até a etapa seguinte do funil de vendas, amadurecendo a intenção de compra com o envio de informações pertinentes, exatamente para os contatos que já estão em um estágio avançado do processo.

Está gostando do artigo? Confira mais sobre a geração de leads!

Como a nutrição de leads pode ajudar sua equipe de vendas?

A nutrição de leads gera oportunidades de negócios mais qualificados, facilitando o serviço da sua equipe de vendas. Ela aproxima o público da empresa e deixa seus vendedores mais bem informados sobre o que aquele cliente efetivamente deseja (e precisa) consumir.

Quando uma corporação faz uma campanha de nutrição, ela tem a chance de ter um controle mais preciso sobre os resultados. Sua empresa consegue mensurar perfeitamente quais tipos de e-mail tiveram mais conversões e quais apresentaram um resultado ruim, possibilitando a reformulação das mensagens ou o reforço das estratégias positivas.

Isso aumenta a qualidade dos negócios realizados pelo seu time comercial e evita a abordagem direta de leads que ainda não são qualificados, deixando seus vendedores muito mais seguros e propensos a finalizar de forma positiva o processo.

 

Saiba qual a importância da geração de leads na industria pet

Qual a importancia da geração de leads na industria pet

 

Na indústria, assim como na maioria dos negócios B2B, o relacionamento com os clientes é fundamental tanto para a prospecção quanto para a fidelização. E esta regra se faz ainda mais necessária em momentos de crise como este que o Brasil está vivendo — a estimativa do Banco Central é de um encolhimento no Produto Interno Bruto (PIB) na casa dos 3,83%  (fonte 2016).

É aí que o conceito de nutrição de leads faz todo o sentido, especialmente para os empresários que já descobriram a importância do Inbound Sales para automatizar as vendas no ambiente digital. Você já ouviu falar deste conceito? Continue lendo para entender!

O que é nutrição de leads?

No marketing digital, chamamos de leads todos os visitantes dos canais digitais que deixam seus dados na hora em que baixam um conteúdo, aqueles que assinam a newsletter, preenchem formulários de contato e até mesmo aquelas pessoas que deixam comentários no blog ou nas redes sociais interessadas em saber mais sobre um produto ou serviço.

Acontece que para um lead se transformar em cliente ele percorre um caminho, uma jornada. Se todo lead gerasse dinheiro, seria uma maravilha. Mas, não é bem assim. Os leads podem ser contatos, frios, mornos e quentes que podem — e devem — se transformar em compradores. Para isso, eles precisam ser nutridos.

Logo, nutrição de leads é a estratégia de relacionamento com os potenciais clientes. Ela é feita de forma automatizada, através de conteúdo e ações digitais (campanhas de e-mail marketing, oferta de conteúdos ricos como e-books, por exemplo, entre outras).

A ideia da nutrição de leads é conduzir os contatos quentes por uma jornada de compra, fazê-los avançar dentro do funil até que se sintam encorajados ou preparados para comprar.

A importância da nutrição de leads na indústria pet

Pense em todo o esforço e em todos os investimentos que a sua empresa faz para estar sempre em contato com os distribuidores ou com os proprietários de pet shops. Os vendedores gastam tempo e recursos (ligações telefônicas, viagens para visitas etc.) para manter o relacionamento sempre quente.

Em uma estratégia de Inbound Sales, esta nutrição é feita online, por meio de envio constante de conteúdo, apresentações via plataformas de videoconforência (Skype, Hangout etc.), entre outras ações. Isso diminui os custos operacionais e eleva a produtividade da equipe, que tem mais tempo para se dedicar aqueles prospects que já estão prontos para um contato comercial.

Numa visão mais ampla, a nutrição de leads também eleva a reputação da marca, pois estar sempre em contato e oferecendo conteúdo relevante aos potenciais clientes demonstra a autoridade da imprensa nos assuntos que giram em torno de seu universo de negócios.

Principais elementos da nutrição de leads e como eles podem ser aplicados na indústria pet

São quatro os elementos básicos de uma estratégia de nutrição de leads:

1. Captura de informações sobre o lead

Por meio de landing pages, é possível conseguir que os leads deixem informações que ajudam a entender seu potencial de compra. Ao baixar um e-book, por exemplo, o lead preenche um formulário com informações que permitem qualificá-lo.

Isso é feito, logicamente, de forma automatizada, por meio de uma plataforma digital, que já está pré parametrizada para separar os contatos em graus de relevância dentro da estratégia de Inbound Sales.

2. Conteúdo e personalização

Com os leads devidamente qualificados, a segunda etapa é a personalização do conteúdo. Ou seja, cada grupo de lead deve receber um tipo de conteúdo. E isso levando em consideração a etapa que o lead se encontra dentro da jornada de compra.

Por exemplo, para um distribuidor que já percorreu as etapas de descoberta, é importante enviar conteúdos que demonstrem o quanto um determinado produto é útil para os proprietários de pet shop. Já para aqueles que estão na etapa de decisão de compra, já é possível enviar uma oferta.

O que não pode acontecer é enviar o conteúdo errado para os leads. Daí a importância da etapa de captura dos dados, qualificação e segmentação dos contatos.

3. Tempo e intervalos

No entanto, é preciso pensar num tempo de envio de conteúdos e nos intervalos entre um envio e outro. E isso é simples, basta pensar em um tempo específico para cada perfil de lead e calcular os intervalos entre um envio e outro.

Vamos separar este tempo em início, fim e intervalos. Entenda:

  • Início: parametrize a ação que o lead deve tomar para entrar na lista de contatos que receberão uma sequência de e-mail marketing. Ele pode, por exemplo, baixar um e-book e deixar seus dados de contato.
  • Fim: pense no objetivo de conversão que demarcará o fim dos envios de e-mails. Ele pode, por exemplo, solicitar um contato do vendedor ou mesmo fazer a compra online. O importante é que a partir desta ação, o lead saia da lista de envios.
  • Intervalos: pense nas várias etapas que você quer que cada lead percorra e desenvolva os e-mails. Envie este e-mails em intervalos que você considere adequados para cada tipo de lead (um por semana, um por quinzena etc.).

É importante que em cada envio, você incentive seu lead a tomar a ação final. Para isso, insira call to actions (CTAs, chamadas para a ação). Assim, mesmo que você esteja enviando um primeiro e-mail, seu cliente pode pular para a etapa final e fazer a compra, por exemplo. Mas é importante que quando ele tomar essa ação (quando ele converter), seja retirado daquela sequência de envios.

4. Conversão

A conversão é o objetivo final da nutrição de leads. É o resultado vitorioso de toda a estratégia de relacionamento com um potencial cliente. Você deve pensar nela. O que acontece a partir do momento que o lead converte-se em cliente? Para qual lista de contatos ele é direcionado? De que forma a empresa passará a tratar este contato?

É importante ter em mente que a nutrição deve continuar mesmo depois de efetuada a venda, afinal, ela também é útil para a fidelização. No entanto, o lead já convertido não deve ser tratado como um lead que ainda não converteu. É preciso pensar em uma outra jornada para este cliente — outra sequência de e-mails, com outros conteúdos, outras ofertas.

O que é nutrição de leads e como pode ajudar sua equipe de vendas

O que é Inbound Marketing?

Conforme a tecnologia avança e novos meios de comunicação surgem, o marketing precisa correr para se adaptar e acompanhar os novos hábitos das pessoas. Nesse cenário, onde o consumidor está mais exigente e seletivo, surge um novo conceito que busca acima de tudo ser uma modalidade de marketing que o consumidor realmente gosta.

Conheça agora o que é o Inbound Marketing e como ele pode auxiliar a Indústria Pet (Fabricantes) a ir mais longe.

O que é Inbound Marketing?

Definir Inbound Marketing não é uma tarefa simples. O conceito é relativamente novo e bem amplo. Mas de modo geral, o Inbound Marketing é qualquer tipo de marketing que seja focado em atrair o interesse das pessoas, em nosso setor de atuação os tutores de animais de estimação e ou lojistas.

É um tipo de marketing mais amigável, pois se baseia no compartilhamento de informações e conteúdo de interesse do visitante, gerando confiança e um relacionamento entre a empresa e o consumidor. Produtos e serviços não são oferecidos diretamente para o consumidor, mas, sim, conteúdos que tenham valor para o quem o lê, mesmo que não haja relação direta com os produtos ou serviços que a empresa comercializa — o importante é atrair o visitante, passar credibilidade e ganhar sua confiança.

Inbound X Outbound

O Outbound é o marketing tradicional, ainda muito presente nos dias de hoje, como comerciais na televisão, propagandas em páginas de revistas especializadas, banners em blogs, etc. Uma de suas características é não ter a permissão do consumidor para ser exibida, a publicidade é imposta para o usuário, aparece sem que ele tenha procurado por ela ou a queira.

No Inbound a ideia é atingir o público certo e no momento certo, sem ser invasivo e exibindo conteúdo útil — por isso as chances de conversão aumentam consideravelmente. O marketing de atração, como também é conhecido, ainda possui outras vantagens sobre o modelo tradicional, como a maior facilidade de mensurar resultados – é possível saber exatamente quantas pessoas viram ou interagiram com o conteúdo, por exemplo – além de ser consideravelmente mais barato que o Outbound.

Ambas as estratégias são muito utilizadas e possuem princípios diferentes, mas se usadas em conjunto podem maximizar seus resultados.

Como funciona?

Para que o Inbound Marketing seja eficaz, é preciso entregar conteúdo certo, no momento certo e no lugar certo, formando assim três itens essenciais que é Lugar, Tempo e Conteúdo. Esses elementos devem ser a base para as suas cinco etapas principais:

1 – Atrair visitantes para seu site/blog;

2 – Converter esses visitantes em leads;

3 – Converter os leads em vendas;

4 – Fidelizar os clientes;

5 – Impressionar positivamente seus clientes para que eles divulguem sua empresa.

Existem estratégias que te ajudam a alcançar esse resultado, como:

Marketing de Conteúdo

Para que os visitantes se tornem leads, é preciso criar conteúdo que seja de qualidade, educativo e útil — daí a importância do Marketing de Conteúdo. Para ajudar nisso, o recomendado é criar personas que auxiliam a direcionar o conteúdo para o público certo.

Saiba o que são Leads

Entenda as 5 etapas da jornada de compra do novo consumidor da web

Ciclo de compra

Entender o ciclo de compra de seus visitantes vai ajudá-lo a convertê-los em leads. Para isso, crie um funil de conversão para entender todas as fases que um possível consumidor passa antes de comprar o seu produto propriamente.

Personalização

Conheça bem seus leads para disponibilizar sempre conteúdo que seja interessante e, quando possível, trate-os de maneira individual e personalizada.

Multicanais

Hoje em dia, as pessoas utilizam diversas redes sociais, leem blogs, fazem pesquisas no Google, etc. É importante estar presente em todos esses canais para alcançar o maior número de pessoas possível.

Integração

Não basta apenas ser multicanal, é preciso integrar tudo isso e mensurar os resultados para que a estratégia dê certo, fazendo alterações sempre que for necessário.

Por que sua empresa precisa adotar o Inbound Marketing?

Em um mercado competitivo como o atual, adotar uma estratégia de marketing com uma abordagem que permite a seus clientes adquirirem uma verdadeira admiração pela sua empresa é uma grande contribuição para a consolidação da sua marca. Sem contar o benefício de um lead gerado por Inbound Marketing ser mais barato e a mensuração dos resultados ser mais assertiva e simples.

O que é nutrição de leads e qual sua importância no mercado Pet e Vet?

O que é nutrição de leads e qual sua importância na indústria pet

Na indústria pet, assim como na maioria dos negócios B2B, o relacionamento com os clientes é fundamental tanto para a prospecção quanto para a fidelização. E esta regra se faz ainda mais necessária em momentos de crise como este que o Brasil está vivendo — a estimativa do Banco Central é de um encolhimento no Produto Interno Bruto (PIB) na casa dos 3,83% até o final de 2016.

É aí que o conceito de nutrição de leads faz todo o sentido, especialmente para os empresários que já descobriram a importância do Inbound Sales para automatizar as vendas no ambiente digital. Você já ouviu falar deste conceito? Continue lendo para entender!

O que é nutrição de leads?

No marketing digital, chamamos de leads todos os visitantes dos canais digitais que deixam seus dados na hora em que baixam um conteúdo, aqueles que assinam a newsletter, preenchem formulários de contato e até mesmo aquelas pessoas que deixam comentários no blog ou nas redes sociais interessadas em saber mais sobre um produto ou serviço.

Acontece que para um lead se transformar em cliente ele percorre um caminho, uma jornada. Se todo lead gerasse dinheiro, seria uma maravilha. Mas, não é bem assim. Leads são contatos quentes que podem — e devem — se transformar em compradores. Para isso, eles precisam ser nutridos.

Logo, nutrição de leads é a estratégia de relacionamento com os potenciais clientes. Ela é feita de forma automatizada, através de conteúdo e ações digitais (campanhas de e-mail marketing, oferta de conteúdos ricos como e-books, por exemplo, entre outras).

A ideia da nutrição de leads é conduzir os contatos quentes por uma jornada de compra, fazê-los avançar dentro do funil até que se sintam encorajados ou preparados para comprar.

A importância da nutrição de leads na indústria pet

Pense em todo o esforço e em todos os investimentos que a sua empresa faz para estar sempre em contato com os distribuidores ou com os proprietários de pet shops. Os vendedores gastam tempo e recursos (ligações telefônicas, viagens para visitas etc.) para manter o relacionamento sempre quente.

Em uma estratégia de Inbound Sales, esta nutrição é feita online, por meio de envio constante de conteúdo, apresentações via plataformas de videoconforência (Skype, Hangout etc.), entre outras ações. Isso diminui os custos operacionais e eleva a produtividade da equipe, que tem mais tempo para se dedicar aqueles prospects que já estão prontos para um contato comercial.

Numa visão mais ampla, a nutrição de leads também eleva a reputação da marca, pois estar sempre em contato e oferecendo conteúdo relevante aos potenciais clientes demonstra a autoridade da imprensa nos assuntos que giram em torno de seu universo de negócios.

Principais elementos da nutrição de leads e como eles podem ser aplicados na indústria pet

São quatro os elementos básicos de uma estratégia de nutrição de leads:

1. Captura de informações sobre o lead

Por meio de landing pages, é possível conseguir que os leads deixem informações que ajudam a entender seu potencial de compra. Ao baixar um e-book, por exemplo, o lead preenche um formulário com informações que permitem qualificá-lo.

Isso é feito, logicamente, de forma automatizada, por meio de uma plataforma digital, que já está pré parametrizada para separar os contatos em graus de relevância dentro da estratégia de Inbound Sales.

2. Conteúdo e personalização

Com os leads devidamente qualificados, a segunda etapa é a personalização do conteúdo. Ou seja, cada grupo de lead deve receber um tipo de conteúdo. E isso levando em consideração a etapa que o lead se encontra dentro da jornada de compra.

Por exemplo, para um distribuidor que já percorreu as etapas de descoberta, é importante enviar conteúdos que demonstrem o quanto um determinado produto é útil para os proprietários de pet shop. Já para aqueles que estão na etapa de decisão de compra, já é possível enviar uma oferta.

O que não pode acontecer é enviar o conteúdo errado para os leads. Daí a importância da etapa de captura dos dados, qualificação e segmentação dos contatos.

3. Tempo e intervalos

No entanto, é preciso pensar num tempo de envio de conteúdos e nos intervalos entre um envio e outro. E isso é simples, basta pensar em um tempo específico para cada perfil de lead e calcular os intervalos entre um envio e outro.

Vamos separar este tempo em início, fim e intervalos. Entenda:

  • Início: parametrize a ação que o lead deve tomar para entrar na lista de contatos que receberão uma sequência de e-mail marketing. Ele pode, por exemplo, baixar um e-book e deixar seus dados de contato.
  • Fim: pense no objetivo de conversão que demarcará o fim dos envios de e-mails. Ele pode, por exemplo, solicitar um contato do vendedor ou mesmo fazer a compra online. O importante é que a partir desta ação, o lead saia da lista de envios.
  • Intervalos: pense nas várias etapas que você quer que cada lead percorra e desenvolva os e-mails. Envie este e-mails em intervalos que você considere adequados para cada tipo de lead (um por semana, um por quinzena etc.).

É importante que em cada envio, você incentive seu lead a tomar a ação final. Para isso, insira call to actions (CTAs, chamadas para a ação). Assim, mesmo que você esteja enviando um primeiro e-mail, seu cliente pode pular para a etapa final e fazer a compra, por exemplo. Mas é importante que quando ele tomar essa ação (quando ele converter), seja retirado daquela sequência de envios.

4. Conversão

A conversão é o objetivo final da nutrição de leads. É o resultado vitorioso de toda a estratégia de relacionamento com um potencial cliente. Você deve pensar nela. O que acontece a partir do momento que o lead converte-se em cliente? Para qual lista de contatos ele é direcionado? De que forma a empresa passará a tratar este contato?

É importante ter em mente que a nutrição deve continuar mesmo depois de efetuada a venda, afinal, ela também é útil para a fidelização. No entanto, o lead já convertido não deve ser tratado como um lead que ainda não converteu. É preciso pensar em uma outra jornada para este cliente — outra sequência de e-mails, com outros conteúdos, outras ofertas.

Como você tem trabalhado a nutrição de leads em sua estratégia de marketing digital? Gostou deste conteúdo? Deixe um comentário!

4 conceitos de Inbound Marketing altamente aplicáveis na indústria pet

Há algum tempo estamos discutindo aqui no blog como a indústria pet pode seguir crescendo no Brasil mesmo em tempos de crise. Já falamos sobre a importância do marketing digital como estratégia, sobre como um processo de Inbound Sales bem estruturado pode ajudar a potencializar as vendas e também sobre como o conteúdo é um grande aliado das empresas deste segmento.

Agora chegou a hora de falarmos sobre o Inbound Marketing. Você já ouviu falar desta estratégia? Acompanhe o artigo de hoje. Você verá o que ela é, qual sua importância e como seus principais conceitos podem ser aplicados no mercado pet.

O que é inbound marketing

O termo Inbound Marketing foi cunhado pela Hubspot, uma das principais agências digitais do mundo. Ele consiste, basicamente, em um processo de atrair a atenção dos clientes potenciais através de criação de conteúdo, antes mesmo de eles estarem dispostos a comprar.

O Inbound Marketing é hoje uma das melhores e mais rentáveis formas de converter estranhos em clientes e promotores de um negócio. Isso porque é diferente do marketing tradicional (outbound marketing): concentra-se em atrair os consumidores através do conhecimento publicado pela empresa e não em interromper sua interação midiática com anúncios, por exemplo — os consumidores não querem mais ver propagandas.

Em suma, fazer Inbound Marketing não é “empurrar” mensagens a um determinado público esperando uma resposta, mas sim atrair as pessoas certas na hora certa por meio de conteúdo de qualidade e, o mais importante, conduzi-las dentro de uma jornada de compras (da descoberta da necessidade à decisão de compra).

Para entender mais a fundo, veja, a seguir, os principais conceitos que você deve conhecer sobre o Inbound Marketing!

4 conceitos de Inbound Marketing aplicáveis à indústria pet

1. Posicionamento Online

Todos os tipos de empresa vivem hoje uma busca acirrada pela atenção dos potenciais consumidores. Isso se dá porque o consumidor atual tem o controle das informações que consome na palma das suas mãos (internet).

É dizer: para que uma empresa se consolide como marca, ela precisa estar bem posicionada na web. Seus canais digitais (site, blog, redes sociais etc.) precisam ser encontráveis.

E isso só é possível através de um trabalho estratégico de produção de conteúdo relevante, que seja útil para as pessoas. Com isso, ao fazer buscas no Google, as páginas da empresa são apresentadas nos resultados e aumentam as chances dos consumidores chegarem até a marca, ganharem confiança e se sentirem a vontade para fazer negócio.

2. Jornada de compra

No entanto, não basta atrair os potenciais consumidores. É preciso fazer com que eles vejam valor na marca, entendam o negócio, descubram suas necessidades e tomem a decisão de comprar.

É aí que entra o conceito de jornada de compra, uma trilha de conteúdos e ações digitais que conduzem os visitantes por quatro etapas básicas: aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração da solução e decisão de compra.

Estas etapas devem ser percorridas de forma automatizada, sem a necessidade de interação pessoal. Ou seja, por meio de conteúdo desenvolvido para cada etapa o consumidor vai avançando até estar pronto para um diálogo comercial.

3. Geração e nutrição de leads

Agora pense em todo o esforço que a sua empresa faz para conseguir a atenção de um proprietário de pet shop, por exemplo. Com o Inbound Marketing isso pode ser otimizado a um ponto que estes potenciais clientes venham até a marca sem a necessidade de um vendedor batendo na sua porta — aliás, um comportamento cada vez mais crescente entre os compradores.

Em Inbound Marketing, assim como em vendas, estes potenciais compradores são chamados de leads. De forma automatizada (com conteúdo e ferramentas específicas), os leads são gerados e nutridos (alimentados com informações úteis visando sempre o avanço na jornada).

E mais: no Inbound Marketing, nutrir leads é se relacionar com eles, promover interatividade, sanar dúvidas, contornar objeções e persuadir para a compra; tudo de forma automatizada, online.

4. Conversão

Outro ponto interessante em uma estratégia de Inbound Marketing é a conversão. Ela se dá quando um visitante do site se torna um lead (é identificado como potencial comprador) e também quando ele vai avançando nas etapas da jornada.

O ponto alto da conversão ocorre quando o lead passou por todas as etapas e efetua uma compra. Dizemos que este lead foi convertido em cliente. Após esta etapa, o lead volta para o início da jornada e deve ser constantemente nutrido para realizar novas compras, adquirir novos produtos e serviços (fidelização).

Inbound Marketing é diferencial competitivo no mercado pet

Também é importante entender que uma boa estratégia de Inbound Marketing diminui consideravelmente os custos da empresa com marketing e vendas. Isso porque as principais etapas de prospecção são sanadas online, fazendo com que os vendedores dediquem-se exclusivamente a fazer contato com os leads já preparados para receber uma oferta.

Dentro da estratégia global de Inbound Marketing existe também um processo chamado Inbound Sales que consiste, basicamente, em integrar marketing e vendas e explorar os recursos digitais para potencializar os resultados com o mínimo de esforço humano.

Se pensarmos que o mercado pet brasileiro é um dos maiores do mundo (4º maior de acordo com a ABINPET), e que a concorrência não para de crescer, ter uma estratégia de Inbound Marketing é um diferencial competitivo enorme. É tornar a marca mais inteligente e ágil e potencializar resultados em consonância com os novos comportamentos dos consumidores — cada vez mais conectados e inteligentes.

Você está pronto para formatar uma estratégia de Inbound Marketing na sua empresa? Para saber mais, assine nossa newsletter. Se preferir, deixe um comentário!

Plano de inbound marketing para pet shop: Como aplicar o inbound marketing em serviços de pet shop e clínicas veterinárias

 

Você provavelmente já deve ter ouvido falar em Inbound Marketing e sobre algumas de suas vantagens, como o custo muito menor do que o marketing tradicional e a possibilidade que ele oferece de mensurar todo e qualquer resultado em um plano de marketing. Mas talvez você não tenha se atentado sobre o que essa estratégia de abrangência global pode fazer para atrair mais clientes e dividendos para seu pet shop.  Fato é que essa modalidade de marketing, que consiste basicamente em ganhar a atenção do prospect, pode não só atrair mais clientes, mas alavancar seus serviços, transformando seu pet shop e clínica veterinária em verdadeira referência no mercado.

Neste post, você vai ficar por dentro de 4 dos principais benefícios em aplicar um plano de Inbound Marketing no seu pet shop, clínica veterinária, bem como em outros serviços.  Confira. 

Inbound Marketing com foco local

 

Para falar dos benefícios, precisamos antes esclarecer a primeira e mais costumeira objeção: de que modo o Inbound Marketing pode ser vantajoso para um negócio local? Trocando em miúdos: como meu pet shop pode usar o alcance mundial da internet para ganhar a atenção dos proprietários de bichos de estimação dos bairros vizinhos? Além de ser uma forma de ganhar a atenção do consumidor sem fazer uso da propaganda invasiva e fora de hora, outro fundamento do Inbound Marketing é promover uma compra mais consciente, nem que, para isso, seja necessário “educar” as pessoas. 

Marketing para pet shop: Aprenda a criar estratégias de marketing para datas comemorativas

Por meio de um conteúdo qualificado, ajustado às dores do público-alvo e disseminado em sites, blog posts e redes sociais, sua empresa pode se tornar uma autoridade na web, galgando as primeiras posições na página de resultados do Google e sendo encontrada por um universo de usuários cada vez mais abrangente – tão abrangente que pode incluir os proprietários de bichos de estimação do bairro vizinho ao do seu estabelecimento. Por exemplo, quantas vezes você já buscou informações sobre uma padaria, loja ou evento local pelo Facebook e, conforme se satisfez com as publicações da timeline e observou o largo número de likes, acabou “favoritando” a página em fonte de referência? Pois é, relacionamento também é Inbound Marketing e, particularmente, capaz de dar um upgrade no seu negócio local, conforme lerá adiante!

Estimulando o upselling (recorrência de compra)

Sites responsivos (que se adaptam a qualquer tamanho de tela), blog posts, ofertas (e-books, infográficos…) e publicações em mídias sociais. Todos eles, quando atrelados a landing pages (páginas de pouso, onde o usuário deixa dados de contato em troca de algo que tenha valor para ele) são as ferramentas mais comuns do Inbound Marketing para distribuir um conteúdo que, dentro do funil de vendas, irá converter visitantes em leads (potenciais clientes) que, consequentemente, serão convertidos em oportunidades para o seu time de vendedores. Assim que fecha uma compra, a oportunidade passa a ser nutrida por e-mail marketing, não só com o objetivo de gerar um upselling para a empresa, mas para transformá-la em uma promoter informal do seu negócio – sabe o bom e velho boca a boca?

Mas você deve estar se perguntando: já disponho de uma base de clientes que conhece minha loja. Como essa engenhoca toda pode ser útil ao meu negócio? Bem, se sua pretensão é apenas elaborar um melhor relacionamento com os seus clientes, você pode implantar uma estratégia de nutrição dos seus contatos por meio de um e-mail marketing automatizado a partir da segmentação. Assim, se você tem um cliente que só compra determinada marca de ração para gatos, você pode incluí-lo no fluxo dos e-mails que tratam de promoções desse tipo de produto, o que vai estimulá-lo a voltar à loja para fazer uma nova compra – e talvez até aumentar o seu ticket médio: ele vai comprar um pacote de ração e aproveita para levar o gato para uma consulta clínica com preço exclusivo para quem apresentar determinado código enviado por e-mail, por exemplo.

Relacionamento voltado para a ampliação do negócio

Embora o upselling tenda a beneficiar diretamente sua loja em termos de receita, o relacionamento baseado na filosofia do Inbound Marketing é capaz de abrir janelas muito maiores. A partir do momento em que a empresa se posiciona como uma fonte confiável de referências sobre qualquer assunto, ela naturalmente ganha a atenção do consumidor. Um blog ou fan page, por exemplo, são ótimos veículos para que você poste artigos sobre temas importantes educando seu público, estimulando a interatividade, o engajamento e, quem sabe, até mesmo fixando uma agenda positiva, com destaque para memes e publicações sobre datas especiais.

Agora, se seu objetivo inicial é simplesmente fidelizar a clientela da vizinhança, uma boa estratégia de relacionamento para aplicar no meio digital é oferecer cupons de desconto, pequenas premiações, concursos culturais, cartão fidelidade,  promoções exclusivas e ações (adoção de filhotes, por exemplo) – enfim, tudo quanto é tática promocional no sentido de mostrar, para todo mundo, que seus clientes têm tratamento VIP. Mas saiba que uma política de relacionamento forte, que ressalte os valores da sua marca e apresente uma linguagem única, é capaz de expandir seu negócio para além do local.

Gerando conteúdo de valor

Conforme já dissemos, um dos fundamentos do Inbound Marketing é “educar as pessoas”. O Inbound segue o comprador através da sua buyer’s journey (jornada do comprador), fornecendo a ele o conteúdo adequado para cada uma das 3 fases de compra em que ele se encontra a fim de estimulá-lo a avançar para a próxima etapa:
  • Awareness (o comprador tem um problema, mas não sabe qual é)
  • Consideration (o comprador já sabe qual o seu problema e está disposto a encontrar soluções para ele) 
  • Decision (o comprador está pronto para escolher a melhor solução)

Veja também: Marketing de conteúdo – Entenda os motivos em investir nessa estratégia para seu pet shop e clínica veterinária.

Ou seja, um blog post sobre prevenção de doenças raras e comuns, periodicidade de vacinas e outros cuidados específicos pode vir a se encaixar muito bem ao primeiro estágio, transformando a sua empresa numa fonte fidedigna de consultas na web, além de demonstrar mais valor e credibilidade para os clientes que você já tem – e atrair muitos outros, impulsionando a taxa de conversão e captando mais e mais *leads (visitantes que deixaram seu e-mail para receber atualizações de seu blog). Claro, desde que todo planejamento de conteúdo esteja alinhado às regras do SEO (Search Engine Optimization) para que o conteúdo conquiste um posicionamento de destaque no Google por meio da palavras-chave certa.

 

SEO – O QUE É E COMO IMPLEMENTAR NO SITE DE SEU PET SHOP.

 

Dica bônus de conteúdo: Em se tratando do mercado pet/vet, um blog se faz ainda mais eficaz, pois os donos de cães e gatos costumam desconfiar das fontes, digamos, oficiais acerca de temas sazonais em prol daquilo que seja melhor para seus filhotes. Por exemplo, em vez de sacrificar um cãozinho com leishmaniose confirmada, eles querem saber se há tratamentos viáveis, alternativos ou não, quanto custam, se são confiáveis, etc. Um blog que consiga antecipar para esse público atencioso informações sobre como agir nesses momentos – e ainda ofereça um canal de contato com um especialista e campo para comentários aberto ao público – tem tudo para ser um sucesso.

Agora que você já conhece mais sobre alguns dos muitos benefícios do Inbound Marketing no seu pet shop, basta traçar a seu plano de marketing e estratégia junto com o seu consultor de marketing e definir quais produtos e serviços entrarão nas campanhas, bem como o carro-chefe do seu negócio.  Além disso, o Inbound permite inúmeras abordagens. Escolha qual será sua pegada: e-mail marketing, campanhas pagas (Facebook Ads, Google Adwords), conteúdo otimizado (SEO), etc… No fim, é só medir a performance de cada fonte de tráfego e geração de leads para saber em que pontos sua estratégia precisa ser afinada.  E pode ter certeza: independentemente do foco da sua estratégia e da dimensão do seu negócio, você só tem a ganhar.

E aí, tem mais dúvidas sobre o assunto? Deixe seu comentário!

 

Inbound marketing funciona em clínica veterinária?

Uma estratégia que já dá muitos frutos no marketing norte-americano, o Inbound Marketing ainda é certa novidade no Brasil, mesmo entre as melhores empresas. Algumas agências têm conseguido produzir campanhas incríveis e bastante conteúdo a respeito da metodologia, então já é possível fazer um diagnóstico: Inbound Marketing funciona na hora de alavancar a comunicação da sua clínica veterinária?

Acertou quem respondeu que sim! A ideia por trás do Inbound Marketing é muito simples: em vez de ir agressivamente atrás do seu consumidor, construímos e fidelizamos nossa base de consumidores com a criação de conteúdo. Por hora pode parecer meio complicado, mas você verá que o Inbound Marketing funciona muito bem na hora de mudar as estratégias de aquisição de consumidores da sua clínica veterinária. Saiba mais:

O que é Inbound Marketing?

O Inbound funciona sob uma lógica muito simples e procura despertar organicamente o interesse de potenciais clientes, fazendo com que eles procurem sua empresa em vez de serem abordados insistentemente por ela. Pode parecer estranho porque tudo que aprendemos de marketing até agora foi no sentido de repetir a mensagem tantas vezes quanto preciso for, mas no Inbound Marketing não deixamos de vender seu peixe!

Mudamos nossos perfis de consumo e a maneira como abordamos a aquisição de produtos e serviços nos últimos anos, e hoje o consumidor tem um poder muito maior. Conseguimos comparar e até mesmo ter um APP que ajuda donos de animais de estimação a procurar por promoções e serviços mais perto de sua residencia – como, preço, avaliação de pessoas que conhecemos e desconhecidos da internet. Toda essa informação a nosso alcance transformou a maneira como confiamos nas empresas.

O Inbound pode te ensinar a conhecer mais seu público-alvo, o que vai fazer seu negócio entender cada vez melhor as necessidades do cliente. Assim, é possível antecipar tendências de mercado e conseguir aumentar seus lucros mesmo em tempos de crise. Afinal, conhecendo melhor o mercado, seu negócio está pronto para se adaptar a qualquer cenário.

Como o Inbound Marketing funciona?

Podemos colocar da seguinte forma: enquanto antigamente para vender era preciso apenas ter um determinado produto em quantidade o bastante e à disposição de seu consumidor, hoje precisamos convencer as pessoas de sua efetividade. Não é que elas deixaram de precisar das coisas, mas a concorrência cresceu consideravelmente.

Temos uma disponibilidade ampla de serviços que antigamente tínhamos uma dificuldade tremenda de encontrar — e isso é maravilhoso. Mas isso faz aumentar também a competitividade, e para conquistar novas fatias de mercado é preciso chegar a novos públicos. É aqui que a sua estratégia de marketing faz toda a diferença.

Minha clínica veterinária precisa de Inbound Marketing?

Usando Inbound Marketing, sua estratégia de comunicação muda completamente. Paramos de investir em espaços publicitários e começamos a investir em conteúdos que chamam atenção e constroem autoridade.

O Inbound Marketing estuda o seu consumidor e cria textos, vídeos, infográficos e todo tipo de conteúdo possível para atrair esse público espontaneamente. Funciona para a comunicação de grandes corporações e funciona na sua clínica veterinária também!

Não existe empresa pequena demais para começar a traçar uma estratégia de Inbound Marketing. Que tal pensar nessa possibilidade e ver como ela funciona no seu negócio? Entre nessa conversa se você está curioso para ver como o Inbound Marketing funciona!

 

 

4 segredos da geração de leads

4 segredos da geração de leadsQuando se trata de geração de leads, não há uma estratégia melhor do que o inbound marketing e todas as ferramentas das quais ele se utiliza para atrair, converter, fechar e encantar clientes. Mas a dúvida que sempre fica é: quais são as estratégias que mais geram resultados? Onde devo investir mais para gerar mais leads para minha empresa?

Pensando nisso, resolvemos listar aqui quais são os segredos da geração de leads das empresas campeãs. O que elas têm feito para chegar ao sucesso? Como você pode se aproveitar desse conhecimento para atingir seus objetivos também? O que não fazer? Quais as barreiras a superar?

As estratégias campeãs de geração de leads

Se estamos falando de inbound marketing, obviamente o marketing de conteúdo estaria na dianteira das estratégias de sucesso para geração de leads. Para 29% das empresas que têm bons resultados nessa área, essa estratégia é fundamental para atrair a atenção do público e iniciar um relacionamento com esses leads.

Seguindo na mesma linha da geração de conteúdo para atrair mais leads, estão os eventos online. Os internautas estão ávidos por conhecimento e, se puder ser em formato de vídeo, melhor. Isso porque os vídeos permitem uma conexão maior com cada lead, despertando emoções que não são transmitidas por texto ou imagem. Ademais, é possível acompanhar a fala mesmo quando se está dirigindo, caminhando ou realizando outras atividades, o que permite aproveitar melhor o tempo.

De nada adianta fazer com que uma pessoa assine uma newsletter se ela nunca a lê ou interage com a sua empresa. Por isso mesmo nada menos do que 52% das empresas que têm êxito nas suas estratégias de geração de leads usam o e-mail marketing, pois ele é o responsável pela nutrição de leads, levando à decisão de compra.

O que não tem funcionado tanto assim

Dentre as estratégias de marketing mais utilizadas, as que não têm surtido tanto efeito para geração de leads são o SEO, os eventos offline e o marketing em mídias sociais. Esse fato pode estar atrelado a uma série de fatores, como desconhecimento do público-alvo, dificuldades em implementar e gerenciar essas estratégias ou falhas de planejamento.

O fato é que cada estratégia tem suas peculiaridades e, se você não souber como implementá-la sozinho, o melhor é procurar uma agência ou profissional que possa ajudá-lo, visando otimizar recursos e aumentar o ROI dessas ações.

Os maiores desafios das empresas na geração de leads

O maior desafio das empresas em gerar leads com mais qualidade está na implementação das estratégias, especialmente em mídias sociais. Na sequência, vem como destaque a implementação de estratégias de marketing de conteúdo, justamente uma das mais bem-sucedidas na geração de leads.

Os eventos offline e o mobile marketing também têm se demonstrado difíceis de usar e gerenciar, seja pela complexidade das ações envolvidas ou ainda pela falta de conhecimento das empresas sobre como atingir seus públicos com essas estratégias.

Como superar as barreiras e ter sucesso na geração de leads

Barreiras sempre vão existir, cabe a você entender cada situação e contorná-la com o máximo de eficiência. O primeiro passo para isso é conhecer bem o seu público-alvo e definir suas personas.

Num segundo momento, invista em conhecer os conteúdos que mais atraem a atenção do seu público e quais formatos são mais consumidos. Blog posts, e-books, infográficos, vídeos, webinars, entre outros formatos, devem fazer parte do seu mix de conteúdo para atrair e converter leads.

Por fim, invista na nutrição desses leads para que você não os perca para a concorrência. Compartilhe conteúdos de alta qualidade e relevância e esteja sempre atento aos resultados de cada ação, pois eles direcionam o seu futuro para uma melhor performance.

Segredos revelados, agora é hora de você começar a investir na sua própria geração de leads! Confira nosso post O que são leads e por que é tão importante para sua clínica e pet shop e comece agora mesmo!

(sua privacidade garantida, livre de spam)
[contact-form-7 id=”2125″ title=”Rodapé do Post”]

 

O que é uma landing page?

Com a enorme popularização da internet no mundo, as estratégias de marketing mudaram completamente, se adaptando a essa nova realidade. Ao invés de panfletos, cartões e anúncios de TV e rádio, os empreendimentos passaram a focar na grande rede como uma tática eficaz e barata de atrair novos clientes.

Dentro desse contexto, as landing pages surgem como uma ótima alternativa para atrair seu público. No entanto, muitas pessoas não sabem ainda o que elas são, para que servem e como utilizá-las. Para responder a essa e outras questões, fizemos o artigo a seguir. Não deixe de conferir:

O que é uma landing page?

o_que_é_uma_landing_page

Para responder o que é uma landing page, podemos começar mostrando exemplos. Sabe quando você entra em uma página qualquer na internet ou quando utiliza um site de buscas e clica num banner ou num link patrocinado? Então, isso é uma landing page! Landing em inglês significa aterrissando, ou seja, as landing pages são “páginas de pouso”, onde o cliente em potencial vai “cair” após clicar no link ou banner.  Veja o exemplo AQUI!

Para que servem as landing pages?

Agora que você já sabe o que é uma landing page, é hora de entender para que elas servem. Como já dissemos, as campanhas de marketing online apresentam muito mais retorno nos dias de hoje e custam muito mais barato para o empreendedor. No caso das landing pages, especialmente quando usadas em sites de busca, o cliente é direcionado exatamente para o que ele estava procurando.

O anunciante paga para ter seu link exibido no momento em que o usuário estiver buscando um produto relacionado com o que a empresa tem a oferecer. Assim, você consegue ter em seu site as pessoas que efetivamente estão em busca do que você está oferecendo, otimizando e direcionando o fluxo de visitantes do endereço virtual da sua empresa.

Como utilizá-las para meu consultório, clínica veterinária ou petshop?

Aprender a usar o conceito de landing page vai depender dos objetivos que você tem, com as campanhas que deseja fazer e de quem é o seu público-alvo. Mas, em linhas gerais, você segue o padrão básico de oferecer ao cliente o que ele está procurando.

Se você está no ramo das pet shops e do universo veterinário, logicamente, você vai colocar sua propaganda em buscas como “brinquedos para animais”, “cuidados com o meu pet”, entre outras. Caso você queira uma landing page em uma página que não seja de sites de buscas, logicamente deve buscar endereços virtuais que seus clientes em potencial visitam, como websites de empresas das redondezas, páginas de parques ou anúncios de exposições de animais, por exemplo.

Lembre-se de não fugir do tema: para manter o visitante dentro da sua página você deve dar a ele exatamente o que ele estava procurando. Se ele estava buscando sobre coleiras, a estratégia deve ser direcioná-lo exatamente para esse local no seu site, mesmo que as rações ou os brinquedos sejam mais lucrativos. Leia outro artigo explicando como fazer uma landing page que converte.

E então, entendeu o que é uma landing page e como ela pode ser utilizada para o seu negócio? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário no post e cadastre o seu e-mail abaixo para receber novos artigos como esse diretamente em sua caixa de entrada!

 

(sua privacidade garantida, livre de spam)

[contact-form-7 id=”2125″ title=”Rodapé do Post”]

Como fazer uma landing page que converte

Ultimamente, muito tem sido falado e discutido sobre o ótimo custo-benefício das landing pages dentro da estratégia de marketing digital para empresas de pequeno, médio e grande porte de qualquer segmento. Isso porque as “páginas de pouso” atuam como uma espécie de vendedor que trabalha todos os dias da semana, 24 horas por dia, captando prospects. No entanto, para que esse “vendedor” consiga realmente atrair interessados e gerar muitas conversões para o negócio, as landing pages devem ser bem estruturadas, fazendo com que o visitante atinja a meta de baixar determinada oferta.

Fique por dentro de alguns itens da landing page que você não deve deixar de otimizar a fim de angariar novos clientes em potencial para os serviços que você oferece:

CTAs

CTA

Os botões de CTA ou “chamada para ação” são a porta de entrada das landing pages. É clicando em um desses botões em formato de banners que o usuário cai direto numa landing page. Logo, os CTAs precisam se destacar em meio a posts de blogs ou páginas de um site. Para isso, precisam ser estrategicamente inseridos no meio do conteúdo, no rodapé ou nas laterais das páginas, sempre com uma cor destoante do padrão do site (as cores primárias são as mais indicadas) e um texto atraente e direto que, acima de tudo, instigue a curiosidade do internauta e o faça clicar.

Veja o exemplo, clique AQUI

Conteúdo

conteudo

Pense nas landing pages como flyers que você costuma receber nos semáforos. Nessas peças publicitárias, os textos devem ser sucintos para chamar sua atenção e, em poucos segundos, mandar o recado antes de o sinal abrir. O mesmo acontece com as landing pages: a começar pelo título da página, onde você deve deixar bem claro o nome, ou pelo menos o objetivo da oferta que o usuário está prestes a baixar. Abaixo do título, você deve usar uma pequena chamada que explique o que o visitante irá “ganhar” com a oferta, seguida de bullet points, ou seja, tópicos ou pontos de destaque relacionados ao material. Lembre-se de que, se o usuário não souber do que se trata a oferta, ele jamais perderá tempo fazendo o download dela. Faz sentido, não?

Design

design

Independentemente da natureza do negócio, a função de todas as landing pages é uma só: levar o usuário a atingir uma meta, e assim consumar a conversão. E para que o usuário seja capaz de preencher o formulário, que vai lhe dar acesso à oferta, com base unicamente na própria intuição, é preciso que o layout da landing page seja o mais limpo possível. Imagens em excesso, links para outros sites ou redes sociais e textos longos só servem para confundir o visitante, além de irritá-lo ao ponto de ele fechar o navegador. Portanto, aposte na fórmula imbatível: título/chamada/bullet points/imagem da oferta/formulário.

Ofertas

Bom, até aqui você já sabe como construir uma landing page que cumpra a finalidade de conversão. Porém, qual é a melhor oferta? Bom, isso vai depender do seu estudo de personas, ou público-alvo. Qual tipo de conteúdo é realmente útil para a sua clientela? Talvez um “Manual de Vermifugo para cães e gatos quando e como administrar”, quem sabe? Quanto mais valor os clientes em potencial vislumbrarem na oferta, “melhor” ela será, pois irá gerar mais downloads e conversões.

Agora que você sabe como proceder em relação a conteúdo e design, é bom ficar ligado em alguns erros bastante comuns, como, por exemplo, criar formulários muito extensos que cansem o usuário. Outra mancada é esquecer de monitorar as landing pages para ver se não há links “quebrados” entre CTA, LP e Thank You page (página onde você entrega sua oferta). Ademais, acompanhe a performance da LP pelo Google Analytics e, caso a taxa de conversão ainda esteja baixa, não hesite em fazer o teste A/B para identificar quais elementos funcionam melhor dentro da página.

E então? Está pronto para criar uma landing page que converte? Que tal assinar nossa newsletter e receber em primeira mão mais artigos como esse?

(sua privacidade garantida, livre de spam)

[contact-form-7 id=”2125″ title=”Rodapé do Post”]